AgirAzul Memória
Todo o conteúdo editorial da publicação em papel de 1992 a 1998
Pesquise em todo o conteúdo

Edição 13

Saúde Global

Me lembro bem...

por Úrsula Aner

               Há uns cinco anos atrás, alguns professores me pediram sugestões para uma feira da saúde quando me mostraram temas como: problemas respiratórios, piolho, alergias, sarampo, diarréia entre outros. Além de enfatizarem os respectivos tratamentos halopáticos apresentavam uma certa desvinculação com dados da realidade local.

               Foi quando sugeri que um dos trabalhos fosse sobre saúde (afinal a feira era da saúde e não da doença). Um novo enfoque integrador e sistêmico considerando a saúde como bem estar físico, emocional e mental do ser humano, essencialmente preventivo e diretamente relacionado à felicidade. Com  base em um livro bem simples (Só é doente quem quer, do  Dr. Carlos Brasil) uma professora, quebrando a tradição de enfocar a doença, se voltou à saúde. Nascia nesta professora uma nova visão de mundo, o despertar para um novo paradigma holístico.

               Agora, vamos ampliar nosso pensamento e focalizar nossa atenção para o Planeta Terra. Quando vamos parar de enfatizar as doenças e promover a saúde Gaia?

               Ainda não existem médicos planetários... talvez nem sejam necessários caso cada indivíduo faça a sua parte. Somos um todo, um sistema vivo, harmônico, uma Sinfonia Orgânica, como diz José Lutzenberger, mas a temos desafinado e perdido diversas partes de sua partitura.

               A Terra vem adoecendo e parece que cada vez que nos preocupamos com suas doenças (miséria, poluição, violência, caça e pesca predatórias, queimadas...), menos nos concentramos em promover sua saúde. Toda a doença vem precedida de um desequilíbrio energético que vai se agravando até chegar no nível físico. Precisamos nos concentrar no que está por trás da doença e assim trabalhar em prol da saúde.

               Atitudes positivas, coerentes com a vida de cada um dos consigo  mesmo, com o outro e com a Terra certamente irradiarão saúde para o planeta, ...uma inevitável mudança, um salto evolutivo, ...um ponto de mutação...

               James Lovelock, em seu livro “As eras de Gaia”, sugere a adaptação do juramento de Hipócrates para o nível planetário. Todos os médicos ao se formarem fazem este juramento que inclui o preceito de não fazer nada que possa vir a prejudicar o doente.

               Que tal nos sentirmos médicos planetários e nos responsabilizarmos pela saúde do planeta ao menos no que está ao nosso alcance??